PM forma 85 novos sargentos que irão atuar em Feira e região

Foto: Ed Santos/Acorda Cidade

A Polícia Militar formou, na manhã desta quarta-feira (10), 85 novos sargentos, que irão atuar na área do Comando Regional Leste (CPRL). A formatura aconteceu na sede do Batalhão de Ensino, Instrução e Capacitação (1º Beic), em Feira de Santana. Em Ilhéus, a PM formou 11 novos sargentos.

De acordo com o comandante do CPRL Luziel Andrade, uma parte dos novos sargentos é de Feira de Santana, mas a grande maioria vem de outras cidades e deverão se apresentar às suas unidades a partir da próxima segunda-feira (15).

“O curso centralizou aqui, mas todos vão retornar para as suas unidades de origem. A partir de segunda-feira vão estar se apresentando, e é um know-how a mais que cada unidade recebe. Um cabo que tomou instruções, se aperfeiçoou e vai retornar como sargento, por certo vai nos ajudar muito”, afirmou em entrevista ao Acorda Cidade.

Segundo o coronel, o curso teve uma duração de seis meses. O conteúdo é programado pelo IEP, que é um instituto de ensino, que faz a reciclagem e aperfeiçoamento das legislações, das mudanças que ocorreram.

“Na verdade, é um curso onde os alunos podem tirar todas as dúvidas e melhorar com relação a tudo o que ele aplica no dia a dia. O sargento é o elo de ligação do oficial com o praça e tem uma importância muito grande na tropa. É o primeiro contato que o soldado tem para o cumprimento das orientações de todos os comandos”, pontuou.

Foto: Ed Santos/Acorda Cidade

No curso, os alunos, que já integravam a corporação na condição de cabos, passaram por instruções teóricas e práticas, a exemplo de policiamento ostensivo geral, direitos humanos, direito militar aplicado, legislação, polícia comunitária, tiro policial, policiamento de trânsito, entre outras, totalizando três meses.

Ainda conforme o coronel Luziel Andrade, além da turma que se formou hoje, há mais 2.500 soldados que vão concluir o curso em janeiro. Esses alunos complementam a lacuna deixada pelos oficiais da reserva.

“Nós temos hoje, dentro daquilo que se chama de previsibilidade, que administrar os policiais que completam o seu tempo de serviço e se aposentam. Esses alunos visam complementar essa lacuna que surge a partir da reserva dos policiais”, destacou.

Foto: Ed Santos/Acorda Cidade

A policial Patrícia Sales, que passou de cabo a sargento, tem quase 23 anos na corporação. Para ela, a graduação exige uma responsabilidade ainda maior.

“A promoção, além de ser uma graduação maior, é uma responsabilidade também e um passo a mais para a reserva. A Polícia Militar da Bahia está galgando os 25 anos para a reserva, como outros estados já conseguiram. A gente ainda aguarda os 30 anos”, declarou ao Acorda Cidade.

Ela ressaltou também a importância da participação feminina na Polícia Militar da Bahia. “É fundamental a participação da mulher, não só na questão da abordagem, mas no contexto da imagem do público feminino dentro da corporação. Esse curso foi um aperfeiçoamento também para entender a importância da abordagem feminina.”

Foto: Ed Santos/Acorda Cidade

Informações do Acorda Cidade.



Receba notícias em tempo real diretamente no seu Smartphone ou computador, assine agora.